Disponibilizada a Tese de Doutorado de Carolina Herrmann sobre a resistência à mineração em áreas naturais

Carolina concedendo entrevista ao programa Cidadania Ambiental, da Rádio Ipanema Comunitária, em 2008.
Carolina concedendo entrevista ao programa Cidadania Ambiental, da Rádio Ipanema Comunitária, em 2008. (Divulgação)

O texto integral da tese de Doutorado da Arquiteta Carolina Herrmann Coelho-de-Souza, sobre ‘O Espaço da Resistência na Serra do Gandarela: Instrumentos, Contraposições e a necessária Utopia’ está disponível na Internet a partir desta sexta, 1/5.

Carolina faleceu vítima da batida de frente do carro de passeio que dirigia contra uma van carregando bebidas que avançou na contramão em janeiro deste ano, em estrada estadual no Município gaúcho de Canela, aonde estava fixando moradia. Com ela no banco do carona, seu companheiro, Danilo Siqueira, que ainda hoje sofre sequelas do acontecimento.

Carolina foi militante do Núcleo Amigos da Terra Brasil Internacional e teve destacada atuação em inúmeras lutas locais e internacionais. aO falecimento da jovem doutoranda ocorreu uma semana antes da data de defesa da sua tese de doutorado junto à Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais. A banca decidiu por realizar o ato público de defesa da tese e o Doutorado foi concedido ‘post mortem‘ como homenagem à qualidade do trabalho e a mulher atuante nas questões do seu tempo.

No resumo da Tese, Carolina afirma: Localizada na Região Metropolitana de Belo Horizonte, estado de Minas Gerais/Brasil, a Serra do Gandarela é motivo de disputa política sobre o seu uso. A partir da ameaça da mineração de ferro surge um movimento de resistência que tem conquistado êxito em impedir a atividade minerária na região, e defendido especialmente as suas águas. Este movimento de resistência vai além do instrumental da proposta de criação de unidades de conservação para bloquear a mineração, ele desconstrói o discurso econômico da mineradora, apresenta proposta econômica alternativa, e vislumbra “outros mundos”, outra relação homem-natureza.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s