Seminário sobre os biomas do Rio Grande do Sul é nesta sexta, 1º/7

E como estão nossos biomas tchê?”

O Pampa? Que no Brasil é exclusivo daqui e nos traz enorme responsabilidade. A Mata Atlântica? Que tem o limite austral de sua ocorrência em nosso território num ecótono de extrema riqueza. E a Zona Costeiro-Marinha? Que especialmente aqui tem influências tropicais e patagônicas. Tanta importância! Mas tanto descuido por parte de quem tem a obrigação de cuidá-los.

Esse é o tema central do evento que acontecerá nesta sexta-feira, 1 de julho de 2022, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, organizado pelo parlamento gaúcho, a Coalizão pelo Pampa, o Instituto Curicaca e a Coalizão Costa Mar Sul.

Não tem problema dar “spoiler”. O Pampa está sendo perdido pelo avanço descontrolado da soja, falta de políticas sustentáveis, problemas na legislação, insuficiência na gestão pública. Costa e Mar vivem um litígio, cidades avançam poluindo o ar e os oceanos, o clima reage com catástrofes e inundações, plásticos e a pesca gananciosa vitimam a rica fauna que estamos gravemente perdendo. Mesmo com lei específica, a Mata Atlântica entrou num novo ciclo de perdas em meio a instituições ambientais ceifadas pela política do desmonte e o incentivo ao desmatamento.

Para todos os problemas há propostas e soluções. E isso é o que as instituições articuladas no evento levarão aos parlamentares do Estado e da Bancada Federal, aos candidatos ao Legislativo e ao Executivo em 2022, ao Poder Judiciário e a toda a sociedade.

INSCRIÇÕES


Evento para debater e apresentar soluções para os desafios de conservação dos biomas que ocorrem no Rio Grande do Sul. Como o Plenarinho da Assembleia Legislativa tem espaço para 108 pessoas, estamos fazendo inscrições no evento como um todo ou nos painéis individualmente, buscando formas de harmonizar. Quem se inscrever previamente terá prioridade de acesso à sala chegando até 10 min antes do início e poderá receber certificado de participação, caso tenha interesse, cujo direito será verificado pela confirmação da entrada na sala através da lista de inscritos.

Link para inscrições


PROGRAMAÇÃO
 

9h30 – Abertura

  • Presidência da Assembleia Legislativa RS, representantes da Coalizão pelo Pampa, Instituto Curicaca e Coalizão CostaMarSul

10h – Painel “Como salvar o Pampa?”

  • Coalizão pelo Pampa e a Carta Aberta à Sociedade (Ana Rovedder – Neprade/UFSM)
  • O que propomos para o efetivo cumprimento da legislação ambiental no Pampa? (Rodrigo Dutra – Associação dos Servidores do Ibama e ICMBio do Rio Grande do Sul)
  • Quais as lacunas de conservação do território que precisam ser preenchidas no Pampa? (Alexandre Krob – Instituto Curicaca)
  • Como valorizar as cadeias produtivas dos povos e comunidades tradicionais do Pampa, guardiões da biodiversidade? (Fernando Aristimunho – Comitê dos Povos e Comunidades Tradicionais do Pampa)

13h30 – Painel “Por que de costas pro mar?”

  • Coalizão Costa Mar Sul e as pautas urgentes para o Rio Grande do Sul (Alexandre Krob – Coord. CostaMarSul/Instituto Curicaca)
  • Lei da Pesca Sustentável e as pressões que impedem sua consolidação (Leandro Miranda – Fórum da Pesca do Litoral Norte)
  • Lacunas de áreas protegidas nos mares do sul: é preciso abrir as gavetas públicas (Kleber Silva – NEMA/Un Solo Mar)
  • Poluição dos oceanos com plástico também é um assunto local (Letícia Bolzan – Instituto Curicaca)

15h – Painel “E a saúde da Mata Atlântica?”

  • A luta dos indígenas por seus territórios ancestrais e suas matas (Douglas Kaingang – CEPI)
  • Continuamos perdendo florestas no Rio Grande do Sul (Eduardo Velez – Instituto Curicaca)
  • Pautas atuais no Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (Estela Galmarino – Vice-presidente do Cerbma-RS)
  • Mediação (Monica Wiggers – Instituto Curicaca)

16h45 – Lançamento do Prêmio Curicaca e um reconhecimento honoris causa