Arquivos Mensais: maio 2016

UPPAN promove a Semana do Meio Ambiente em Dom Pedrito

A União Pedritense de Proteção ao Ambiente Natural – UPPAN promove no Município de Dom  Pedrito, RS, com o Conselho Municipal do Meio Ambiente – COMAM, a Secretaria Municipal de Educação e Cultura – SMEC, e a Secretaria Municipal de Saúde e Meio Ambiente – SMSMA, a XXII Semana do Meio Ambiente de 30 de maio a 5 de junho de 2016.

A programação é extensa e envolve a comunidade. O início acontece na manhã desta segunda-feira, 30/65, com a palestra-show Desenvolvimento Sustentável: um futuro verde para o nosso Planeta, com o Professor Hernán Mostajo, diretor do Observatório Bioastronômico Cosmos, de Itaara, RS.  Ler mais

Agroecologia e Transgênicos – mitos e tarefas – artigo de Leonardo Melgarejo

O presidente da AGAPAN  – Leonardo Melgarejo – escreve sobre os mitos que cercam a agroecologia e os transgênicos. 

Melgarejo é Engenheiro-Agrônomo, Dr. em Engenharia de Produção, presidente da Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural – AGAPAN, coordenador do GT Agrotóxicos e Transgênicos da Associação Brasileira de Agroecologia – ABA.

O artigo foi originalmente publicado no site Carta Maior

Na natureza não existem espécies campeãs. Portanto, as monoculturas extensivas são antinaturais. É por isso que elas exigem uma luta permanente. Ler mais

AGAPAN disponibiliza vídeo do debate sobre Arborização Urbana e Mudanças Climáticas

Gráfico apresentado pela Professora Flávia Moraes. 

O diretor da AGAPAN – Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural jornalista Heverton Lacerda disponibilizou no canal do Youtube da entidade a íntegra do debate sobre Arborização Urbana e Mudanças Climáticas ocorrido no Auditório da Faculdade de Arquitetura da UFRGS em 11 de abril de 2016.

Após a introdução do tema pelo Eng. Agrônomo Leonardo Melgarejo, presidente da AGAPAN, falaram e ilustraram as apresentações com o uso de projeção a pesquisadora do Programa de Pós-Graduação do Departamento de Geografia da  UFRGS Flávia Moraes e o professor do Departamento de Ecologia da UFRGS Paulo Brack, também coordenador do INGÁ – Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais. A fala inicial e a moderação do painel foi realizada por Eduardo Ruppenthal, biólogo e mestre em Desenvolvimento Rural pela UFRGS, como representante do MOGDEMA – Movimento Gaúcho em Defesa do Meio Ambiente.

 

AMA Guaíba atuante na fiscalização da Celulose Riograndense

A AMA – Amigos do Meio Ambiente de Guaíba, RS, em conjunto com a Comissão de Moradores do Balneário Alegria, continua com as cobranças à Celulose Riograndense (do grupo CMPC), à Fepam, e ao Ministério Público, cada um por suas responsabilidades, por maiores investimentos, por parte da empresa, em manutenção preventiva, monitoramento e controle de falhas mais eficazes, maior número de pessoal qualificado, melhor tecnologia de abatimento de emissões atmosféricas, ruídos e tratamento de efluentes líquidos, e, “sem dúvidas, maior cuidado e respeito com a comunidade através de uma comunicação externa que saiba acolher as criticas e que seja verdadeira e transparente”.

Na última quinta-feira, 5 de maio, por volta das 15h, ocorreu mais um vazamento de dióxido de cloro na planta de produção de celulose da CMPC, localizada na área urbana do município de Guaíba (dia 20 de maio de 2015 houve o primeiro vazamento de dióxido de cloro, após a quadruplicação da indústria, que se teve registros). O vazamento, conforme informações de nota emitida pelo site da empresa, atingiu 20 trabalhadores que foram encaminhados ao Pronto Atendimento (PA) do Hospital Regional de Guaíba para “avaliação ambulatorial” e liberados cerca de 1 hora e meia depois.

Conforme fotos obtidas no momento do atendimento dos funcionários afetados, é possível identificar que não foram submetidos a uma simples avaliação ambulatorial e liberados, mas receberam também cuidados médicos. Esta constatação corrobora com fatos anteriores, em que notas emitidas pela empresa buscam abrandar situações ocorridas.

Veja matéria integral no site da AMA

-30.109092-51.323827

Parlamentares gaúchos tentam disfarçar ataque a leis ambientais

Preocupada com a possibilidade de retrocessos, a Agapan acompanha o tema em estado de alerta.

Para a AGAPAN – Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural, os deputados estaduais que integram duas subcomissões da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa do RS (ALRS) utilizam de eufemismo para mascarar a intenção de flexibilizar o Código Florestal (Lei 9.519/1992) e o Código Estadual do Meio Ambiente (Lei 11.520/2000) para satisfazer pressões de interesse econômico. Elton Weber (PSB) e Frederico Antunes (PP) são, respectivamente, os relatores das subcomissões. Afirma o noticiário da entidade que o referido eufemismo se dá, mais especificamente, por conta do uso do termo “aperfeiçoamento”, que é utilizado pelas duas subcomissões que tentarão, na verdade, justificar a fragilização pretendida das leis ambientais.  Ler mais

INGÁ pede esclarecimentos sobre mineração de metais pesados pela Votorantim no RS

Guaritas/Caçapava do Sul, RS

O Professor Paulo Brack, coordenador-geral do INGÁ – Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais, entidade filiada à APEDeMA/RS, encaminhou nesta quinta-feira (5/5/2016) à Secretaria do Meio Ambiente do Estado do RS, ao Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente do Ministério Público Estadual e ao Ministério do Meio Ambiente pedido de esclarecimento sobre a retomada da mineração de zinco e chumbo, metais pesados, em Área Prioritária para a Biodiversidade na Categoria de Extrema Importância – as Minas de Camaquã.

Veja abaixo a íntegra do Ofício: Ler mais