Arquivos da Categoria: Diversos

Jornal Já publica nota sobre os ambientalistas e as reformas do Prefeito de Porto Alegre – cita a APEDEMA/RS

Captura de Tela 2017-04-06 às 09.22.44O Jornal Já, de Porto Alegre, publicou nesta terça-feira, dia 4/4/2017, matéria assinada por Felipe Uhr sobre o que acham os ambientalistas sobre as reformas e as indefinições do Prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchesan Junior, na área de meio ambiente.

Leia a matéria na íntegra:

 

 

Tags: Leonardo Melgarejo, Paulo Brack, Agapan, INGA, SMAM, COMAM, FUNPROAMB,

AGAPAN debate o Cristianismo e a Natureza

Captura de Tela 2017-04-05 às 11.35.45

“Cristianismo e Natureza, a posição da Igreja diante da degradação dos biomas brasileiros” é o tema central do Agapan Debate, que acontece na próxima segunda-feira (10/04), às 19h, com entrada franca, no auditório da Faculdade de Arquitetura da Ufrgs. Convidados pela Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (Agapan), participam do debate o frei Luiz Carlos Susin e o jurista e procurador de Justiça aposentado, Orci Paulino Bretanha Teixeira.
Frei Susin antecipa que em sua palestra sobre “Cristianismo e natureza: etapas de uma relação poliédrica com tumultos e sucessos” pretende fundamentar sobretudo no teólogo Jürgen Moltmann e no historiador Jacques Le Gof, abordando ainda o livro que escreveu com meu confrade, “A vida dos outros – ética e teologia animal”.
Já Teixeira, em sua palestra sobre “O destino comum dos bens: uma visão jurídica” vai adequar o tema do Agapan Debate à Carta Encíclica “Laudato Si”, do Papa Francisco, e a textos por ele publicados, como “O direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado como direito fundamental” e o livro eletrônico “A fundamentação ética do estado socioambiental”.

De acordo com o mediador da mesa, o filósofo e diretor budista Celso Marques, que presidiu a Agapan por três gestões, a escolha do tema se deve ao lema da Campanha da Fraternidade deste ano, definida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB): ‘Fraternidade: Biomas brasileiros e defesa da vida’, ou seja, cuidar dos biomas brasileiros é uma questão de fé e cidadania.

 O assunto foi sugerido pela recente edição da Carta Encíclica Laudato si – Sobre a Casa Comum, divulgada pelo Papa Francisco em 24 de maio de 2015. Veja a íntegra.  Nela são abordados, com profundidade, temas ecológicos, éticos e o consumismo, motivadores uma nova postura da Igreja Católica frente às sérias questões que assolam “a nossa casa comum”, o Planeta.
Na verdade, o que vai permear os debates são questões teológicas/filosóficas/ecológicas que apontam para um novo paradigma com relação a essa revolucionária encíclica papal”, antecipa Marques.
DEBATEDORES
Sobre a situação de degradação que atinge não apenas o Pampa gaúcho, mas os demais biomas brasileiros, a Agapan convidou para avaliar o papel e a interferência da Igreja e das religiões nessa defesa o frei Luiz Carlos Susin, doutor em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, professor na PUC e na Escola Superior de Teologia e Espiritualidade Franciscana, de Porto Alegre. Foi secretário Geral do Fórum Mundial de Teologia da Libertação, durante o Fórum Social Mundial e, pela sua obra (29 livros e numerosos artigos e palestras), recebeu o Prêmio Jabuti de Literatura Religiosa no ano 2000.
Orci Bretanha Teixeira é o outro debatedor. Procurador de Justiça aposentado (Ministério Público do Rio Grande do Sul), mestre em Direito e doutor em Filosofia. Lecionou na Faculdade de Direito da PUC e na Fundação Escola Superior do Ministério. Atualmente é advogado.
Celso Marques, mediador, ecologista, ex-presidente da Agapan de 1986 a 1993 e conselheiro. Bacharelado, com licenciatura em Filosofia na Ufrgs, universidade da qual é professor aposentado de Filosofia do Colégio de Aplicação. Monge budista da tradição Sotô Zen, atualmente dirige o Instituto Zen Maitreya, sendo monge orientador do Zendo do Diamante, em Porto Alegre, além de escritor, violonista, compositor popular e poeta.
Evento no Facebook

Divulgação: Imprensa Agapan, com edição

 

Exposição no Museu de Arte do RGS marca os 45 anos da AGAPAN

A abertura será nesta quinta-feira, às 18h30.

captura-de-tela-2016-10-06-as-06-40-23

O Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli convida para a exposição É VIDA! AGAPAN – 45 ANOS, com abertura dia 6 de outubro, às 18h30min, no MARGS.

A mostra, com curadoria de André Venzon, reúne cerca de 100 artistas visuais e escritores com obras em aquarelas, desenhos, pinturas, gravuras, fotografias, arte digital e textos poéticos. A exposição pode ser visitada até 13 de novembro de 2016, nas galerias Ângelo Guido e Pedro Weingartner, com entrada franca.

A densa arborização de Porto Alegre não seria a mesma, se há 45 anos José Lutzenberger, Augusto Carneiro, Caio Lustosa, Alfredo Gui Ferreira, entre outros ambientalistas, não houvessem criado a Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural – AGAPAN. Com o apoio do Instituto Estadual do Livro – IEL, a mostra vem homenagear a entidade, através de artistas visuais e escritores, em respeito a esta histórica associação que tem como lema A VIDA SEMPRE EM PRIMEIRO LUGAR.

Ler mais

Educação Ambiental no Parque Natural Municipal Morro José Lutzenberger, em Guaíba

O encontro teve início no Píer da Av. João Pessoa, onde 20 estudantes da turma 304, acompanhados do professor Lugon Lewandowski, juntaram-se aos integrantes da AMA, o Biólogo Tomaz Casadio e o Engenheiro Ambiental Eduardo Raguse. Olhando para o verde do Morro, o grupo relembrou o processo de criação desta Unidade de Conservação (UC), da qual os estudantes tiveram grande participação ajudando a lotar a Câmara de Vereadores de Guaíba nas históricas audiências públicas realizadas, reivindicando seu direito ao lazer e à complementação de seu ensino escolar junto a um ambiente natural.

Rememoraram também a vida de José Lutzenberger e as lutas do ambientalismo gaúcho, dentre elas, os quase 45 anos de luta para que os processos de produção de celulose na zona urbana de Guaíba degradem menos a qualidade do ambiente e representem menos riscos à população, questões que, devido à quadruplicação de sua capacidade produtiva, voltam a impactar o dia a dia dos moradores e dos estudantes. A Escola Augusto Meyer é uma das mais afetadas pelo odor e pelos particulados oriundos da empresa, tendo em vista estar no caminho da direção predominante dos ventos.

Captura de Tela 2016-10-10 às 21.11.32.jpeg

Encontro no pier, com o Morro como moldura da paisagem

Após este momento, a turma se deslocou até o Parque pela Rua 7 de Setembro, já observando espécimes da flora como o Cipó-de-São-João (Pyrostegia venusta) espécie nativa com alto potencial ornamental devido à suas abundantes flores alaranjadas e o Maracujá-de-Estalo (Passiflora elegans) espécie frutífera ameaçada de extinção (a área possui mais de 250 espécies de flora nativa). Observaram com espanto as grandes estruturas das casas que têm como fundos a área da UC, bem como encontraram alguns matacões que rolaram até a calçada devido à ação das chuvas e da falta de cobertura vegetal de algum ponto da encosta do Morro. Conheceram também a antiga “Bica da Sete de Setembro” local onde a população buscava água pura para beber e que hoje está desativada, restando apenas parte de sua estrutura original.

  • Veja a matéria na íntegra no site da AMA – Amigos do Meio Ambiente, de Guaíba, RS.
Fonte: ASCOM AMA  Fotos: Tomaz Casadio e Eduardo Raguse

28/10 – Amigos da Terra promove debate sobre a financerizacao da Natureza

É nesta quarta-feira a QUARTA TEMÁTICA promovida pelos Amigos da Terra Brasil, associada da APEDeMA/RS,  em sua sede, em Porto Alegre. A Geóloga Lúcia Ortiz, Coordenadora do Programa de Justiça Econômica e Resistência ao Neoliberalismo da Federação Amigos da Terra Internacional, estará presente na capital gaúcha.

O evento acontece na sede da entidade, CASANAT, na rua Olavo Bilac 192, às 18h, em 28/10. A organização pede confirmação da presença pelo email secretaria@natbrasil.org.br.

Captura de Tela 2015-10-25 às 20.10.52

Sul21 destaca painel sobre Transgênicos no Brasil

Da esquerda para a direita, Paulo Brack, Marijane Lisboa e Leonardo Melgarejo: Além dos problemas de contaminação, advertiram pesquisadores, há vários outros que não são do conhecimento da sociedade. Entre eles, está o fenômeno do aumento da resistência de certas bactérias a antibióticos e o surgimento de novas pragas, o que leva ao desenvolvimento de novos tipo de transgênicos. (Divulgação)

Da esquerda para a direita, Paulo Brack, Marijane Lisboa e Leonardo Melgarejo: Além dos problemas de contaminação, advertiram pesquisadores, há vários outros que não são do conhecimento da sociedade. Entre eles, está o fenômeno do aumento da resistência de certas bactérias a antibióticos e o surgimento de novas pragas, o que leva ao desenvolvimento de novos tipo de transgênicos. (Divulgação)

Matéria do Jornalista Marco Weissheimer, do jornal Sul 21, nesta quarta-feira (25/3/2015) destaca o painel realizado na noite anterior, em Porto Alegre, em lembrança dos 10 anos da Lei de Biossegurança e os Transgênicos no Brasil. O evento foi promovido pela  AGAPAN – Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural, INGA – Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais, Movimento Gaúcho em Defesa do Meio Ambiente (MoGDeMA) e GVC – Projeto de Extensão da Biologia da UFRGS. Destacou no título que ‘ao contrário do prometido, transgênicos trouxeram aumento do uso de agrotóxicos”.

Veja a nota integral no jornal sediado na Internet.

« Entradas mais Antigas