IMG_1479 (1)

A responsabilidade da edição do contido no AgirAzul.com é do Jornalista João Batista Santafé Aguiar (Reg. Profissional 4876/DRT-RS) diplomado em 1981 pela Faculdade dos Meios de Comunicação Social da PUCRS / FAMECOS. 

 

Breve Currículo de 
João Batista Santafé Aguiar

Nasceu em Porto Alegre, em 1959.

Estudou no Instituto de Educação General Flores da Cunha até 1974. O segundo grau foi realizado no Colégio Estadual Júlio de Castilhos, entre 1975 e 1977. Graduou-se em Comunicação Social – Jornalismo na PUC/RS entre 1978 e 1981. Frequentou o curso de Filosofia na UFRGS.

Estagiou como estudante de Comunicação Social/Jornalismo entre 1979 a 1980 no Museu de Comunicação Social Hipólito José da Costa

Por concurso público, foi servidor do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul de 1981 a 2017.  De 1981 a 1991, trabalhou na secretaria do Conselho da Magistratura. De 1991 até 2012, atuou na Imprensa da instituição (assessoria, cobertura jornalística de julgamento, relacionamento com os meios de comunicação, edição e redação / coordenou a implantação da página do TJ na Internet). Depois integrou a equipe do Memorial do Judiciário, de 2012 até a sua aposentadoria, em 2017.

Foi diretor da AGAPAN – Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural, da Cooperativa Ecológica Coolméia, da PANGEA – Associação Ambientalista Internacional, da Fundação Educacional João XXIII (mantenedora do Colégio João XXIII). Foi presidente do Núcleo de Ecojornalistas do RS – NEJ/RS.

Editou entre 1992 e 1998 o boletim impresso AgirAzul, pela PANGEA – Associação Ambientalista Internacional. Foi credenciado como jornalista e acompanhou a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento (Cnumad) no RioCentro e o Fórum Global realizados no Rio de Janeiro, em 1992. Foi co-fundador da Rede Brasileira de Jornalismo Ambiental, em 1998. Foi presidente do NEJRS – Núcleo de Ecojornalistas do RS. Foi diretor-geral da Rádio Ipanema Comunitária FM de 2015 a 2019. Integrou o COMPAHC – Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural de Porto Alegre entre 2018 e 2020, representando o Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul. 

Recebeu, em 2015, da Prefeitura Municipal de Porto Alegre, a Medalha Cidade de Porto Alegre, ‘por relevantes serviços prestados à comunidade’.

Atualmente exerce como voluntário as funções de:

É também pesquisador na área de História do Rio Grande do Sul, Justiça, Meio Ambiente, Políticas Públicas e Comunicação.

 

Alguns Textos próprios / produção

  • 2001-11-13Um histórico do movimento ambientalista gaúcho e os seus desafios atuais. Palestra proferida na Biblioteca Municipal de Ijuí em promoção da AIPAN – Associação Ijuiense de Proteção ao Ambiente Natural. Link para texto

  • 2017 / Artigo  A Questão das Águas do Ribeiro in Instituto Histórico e Geográfico do RS/IHGRGS; Assembleia Legislativa do RS / Memorial do Legislativo. (orgs.). Alcides Cruz: perfil parlamentar. Porto Alegre: Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, 2017. 397 p. (Série Perfis Parlamentares, n.14). ISBN 978-85- 66054-37-8. Disponível em: <www.al.rs.gov.br/biblioteca>. Link para Íntegra do artigo em PDF, páginas 125-136, 12 p., 684kb. Colaboração como integrante da equipe do Memorial do Judiciário. 
  • 2019/2020 – Votos e Contribuições enquanto membro titular do COMPAHC – Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural de Porto Alegre, entre 2019 e 2020 / votos e declarações de votos. Íntegras. Link

Sites

Mantém os conteúdos dos seguintes sites na Internet: —  Rede Brasileira de Jornalismo Ambiental —  www.rbja.jor.br; AgirAzul Notícias —  www.AgirAzul.com; AgirAzul na Redewww.AgirAzul.com.br; Jornalismo Ambiental no Brasil e no Mundowww.jornalismoambiental.jor.br; Pautas Jornalísticaswww.pautas.jor.br; Historiografia da Coolmeiawww.coolmeia.com.br

Citações em Livro

Missão (quase) impossível: aventuras e desventuras do movimento ambientalista no Brasil, de Teresa Urban – link para compra na Amazon.com; link no Google Books para partes do livro. 

 

Citações em trabalhos acadêmicos:

(Buscar a citação no texto completo a partir do link incluído na ilustração da primeira página do trabalho)

 
 
 

Movimento (socio)ambientalista e o processo de estruturação da política ambiental no estado do Rio Grande do Sul : em busca da gênese do socioambientalismoSouza, Dina Ferreira de (2017) [Dissertação] O socioambientalismo é uma vertente recente do movimento ambientalista no Rio Grande do Sul, com grande expressão em países com vasta biodiversidade como o Brasil. As características deste país, que associa a existência …


As representações sociais sobre o Bioma Pampa no jornalismo de referência sul-riograndenseFante, Eliege Maria(2012)[Dissertação] Nesta dissertação buscou-se compreender quais eram e como foram construídas as representações sociais sobre o Bioma Pampa que circularam nas notícias do jornalismo de referência do Rio Grande do Sul no contexto da construção …


Um protetor da natureza : trajetória e memória de Henrique Luiz RoesslerPereira, Elenita Malta (2011) [Dissertação] A presente pesquisa visa a construir uma biografia histórica de Henrique Luiz Roessler (1896-1963), um dos mais importantes agentes da proteção à natureza no Rio Grande do Sul, antes da constituição de movimentos ecologistas …


A ética do convívio ecossustentável : uma biografia de José LutzenbergerPereira, Elenita Malta (2016) [Tese] Esta tese visa a construção de uma biografia histórica do engenheiro agrônomo e ambientalista José Lutzenberger (1926-2002). O objetivo é compreender de que maneira a trajetória de Lutzenberger se articula com a construção …


https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/54169/TCC_Roberta_Zandonai_Moreira.pdf?sequence=1&isAllowed=yRevista Sustentação: Da Teoria à Prática em Jornalismo Ambiental – Moreira, Roberta Zandonai. (2013) Monografia aprovada como requisito à conclusão do Curso de Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo. Universidade Federal do Paraná. No texto, Roberta relata o início da Rede Brasileira de Jornalismo Ambiental.


Trajetória do jornalismo e dos jornalistas ambientais no Brasil: o Núcleo de Ecojornalistas do RS. (2018) Artigo na Aturá – Revista Pan-Amazônica de ComunicaçãoA  Fante, Eliege Maria; Moraes, Cláudia Herte de; Massierer, Carine; e Motter, Sarah Bueno. As autoras fazem um levantamento da trajetória do Jornalismo Ambiental no Brasil, marcada fortemente pelo Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul (NEJ-RS).


A Invisibilidade do Movimento Ecofeminista – Uma análise do contexto histórico de construção do socioambientalismo no Rio Grande do Sul. (2017) – in  Anais do Congresso Latino-Americano de Gênero e Religião. Souza, Dina Ferreira; Negrão, Telia; Coelho-de-Souza, Gabriela; Kubo, Rumi Regina. Análise dos movimentos sociais que contribuiram para a construção de uma visão socioambiental no Rio Grande do Sul a partir da década de 1960.


José Antonio Lutzenberger: Trajetória de vida, obra e contribuição para a causa ambiental no Brasil. (2010), Augusto, Janaina da Silva. Dissertação para a obtenção do título de Mestre em Educação, Arte e História da Cultura. Universidade Prebisteriana Mackenzie. 


História e Memória do Ambientalismo no Vale do Rio dos Sinos (2007) – Rückert, Fabiano Quadros – Dissertação de Mestrado no Programa de Pós-Graduação em História da UNISINOS. A análise parte dos primórdios do movimento ambientalista brasileiro, retomando o trabalho de Henrique Luiz Roessler com a fundação da UPN – União Protetora da Natureza, em 1955, e estendendo-se até os começos dos anos 90/ 

 


 

Clique aqui para formas de Contato