Arquivo de tag Internacional

porRedação

28/10 – Amigos da Terra promove debate sobre a financerizacao da Natureza

É nesta quarta-feira a QUARTA TEMÁTICA promovida pelos Amigos da Terra Brasil, associada da APEDeMA/RS,  em sua sede, em Porto Alegre. A Geóloga Lúcia Ortiz, Coordenadora do Programa de Justiça Econômica e Resistência ao Neoliberalismo da Federação Amigos da Terra Internacional, estará presente na capital gaúcha.

O evento acontece na sede da entidade, CASANAT, na rua Olavo Bilac 192, às 18h, em 28/10. A organização pede confirmação da presença pelo email secretaria@natbrasil.org.br.

Captura de Tela 2015-10-25 às 20.10.52

porRedação

Amigos da Terra apóiam Tratado contra Empresas Transnacionais

logoO Amigos da Terra Brasil, associado da APEDeMA/RS, está divulgando apoio ao Tratado Internacional dos Povos para o Controle das Empresas Transnacionais. Veja a nota no blog da entidade.

porRedação

Tratado da ONU é urgente para os defensores ambientais

Ler mais

porRedação

Informe dos Amigos da Terra na Comissão de Direitos Humanos da ONU sobre os defensores ambientais

logoGENEBRA (Suíça) 10 de junho de 2014 – Defensores ambientais frequentemente sofrem terríveis consequências por suas ações, violações de direitos e violência, de acordo com um novo informe de Amigos da Terra Internacional a ser apresentado em 26 de Junho, durante a 26a sessão do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas (CDH), de 10 a 27 de Junho [1].

Um novo caso de violência contra defensores dos direitos ambientais e violações dos seus direitos é reportado a nós a cada semana em média, e essa é somente a ponta do iceberg,” disse Lúcia Ortiz, Coordenadora do Programa de Justiça Econômica de Amigos da Terra Internacional.

Amigos da Terra Internacional registrou mais de 100 incidentes de violência contra defensores de direitos ambientais e violações aos seus direitos em 27 países em todo o mundo num período de novembro de 2011 a Outubro de 2013, de acordo com o informe. Ler mais

porRedação

Qual é a sua idéia para 4 de junho?

Foto: Qual é a sua ideia?<br /><br /><br /><br />
Ajude a Federación Ambientalista Internacional e o Movimento Ambientalista Os Verdes a propagar este pedido de apoio na Petição à ONU para declarar o dia 04 de junho, o Dia Mundial dos Ambientalistas. https://secure.avaaz.org/po/petition/Ban_Ki_Moon_Secretario_Geral_da_ONU_Declarar_o_Dia_04_de_junho_o_Dia_Mundial_do_Ambientalista/?Day2Share</p><br /><br /><br />
<p>Somos milhares de pessoas ajudando e protegendo bilhões de habitantes no planeta Terra. Portanto, 5 mil assinaturas em 2 meses, será possível conseguirmos!<br /><br /><br /><br />
Sua ajuda é importante nesta hora!<br /><br /><br /><br />
Compartilhe nossa página (https://www.facebook.com/events/561160607314884/?fref=ts) e Peça apoio para seus amigos. O Planeta agradece!Qual é a sua ideia?  Ajude a Federación Ambientalista Internacional e o Movimento Ambientalista Os Verdes, associado da APEDeMA/RS,  a propagar este pedido de apoio na Petição à ONU para declarar o dia 04 de junho, o Dia Mundial dos Ambientalistas.
Somos milhares de pessoas ajudando e protegendo bilhões de habitantes no planeta Terra. Portanto, 5 mil assinaturas em 2 meses, será possível conseguirmos!
Sua ajuda é importante nesta hora!
Compartilhe nossa página  e Peça apoio para seus amigos. O Planeta agradece!
porRedação

ONGs pressionam a empresa de água israelense Mekorot

logoO Núcleo Amigos da Terra Brasil, associado da APEDeMA/RSestá divulgando no seu site a nota dos Amigos da Terra Internacional sobre o acesso à água no Oriente Médio.

Amsterdam, Holanda, 20 de março de 2014 – A organização ambientalista Amigos da Terra Internacional anunciou no dia 20 de março seu apoio à campanha que denuncia a as práticas discriminatórias da empresa de água estatal israelense, Mekorot, nos territórios Palestinos ocupados [1].

No dia 22 de março, Dia Internacional da Água, começou a campanha “Semana de ação contra a Mekorot”, organizada por PENGON-Amigos da Terra Palestina e outras organizações palestinas.

“O acesso à água potável para os palestinos é um grande problema, em grande medida devido às políticas discriminatórias da empresa estatal israelense de água”, afirmou Jagoda Munic, presidenta dos Amigos da Terra Internacional.

 

Veja a nota na íntegra

porRedação

Repercute posicionamento do INGA sobre hidrelétricas

Os jornais Valor Econômico e Correio do Povo repercutiram a correspondencia enviada pelo INGA – www.inga.org.br, associado da APEDeMA/RS, ao Ministério Público e outros organismos sobre os projetos das Usinas Hidrelétricas de Garabi e e Panambi, ao longo do rio Uruguai. Veja nota anterior no blog da APEDeMA/RS. Ler mais

porRedação

Documentário sobre Magda Renner e Giselda Castro será lançado em 2014 – veja uma prévia de 5 minutos

A jornalista Daniela Sallet e a Zapata Filmes irão lançar no primeiro semestre de 2014 o documentário intitulado Substantivo Feminino sobre a vida e a importância da obra das grandes damas do ecologismo Magda Renner e Giselda Castro.  Ambas atuaram na ADFG – Ação Democrática Feminina Gaúcha, transformada por elas mesmas e os associados no Núcleo Amigos da Terra Brasil, integrante da Federação Internacional dos Amigos da Terra, e associada da APEDeMA/RS.  Segue o texto, fotos e o link para o  ‘trailer’ de 5 minutos do filme que terá 70 minutos de duração – o material divulgado já inclui partes dos depoimentos de Antenor Ferrari, Celso Marques, Káthia Vasconcellos Monteiro, Fábio Feldman, Roberto Smeraldi, José Truda Palazzo Jr, Germano Bonow, Gislene Monticelli e familiares das duas.  

Substantivo Feminino Daniela Sallet Producoes 11

Magda Renner em manifestação no centro de Porto Alegre em favor da proteção do clima.

Substantivo Feminino é o título do longa-metragem documental que resgata a história de duas mulheres pioneiras e fundamentais para a militância ambiental no Rio Grande do Sul e no Brasil. Mais do que isso, a atuação de ambas tive inserção internacional no movimento em defesa do meio ambiente.

Integrantes de famílias tradicionais e com trânsito nos meios políticos e sociais, Giselda Castro e Magda Renner eram mães quando se depararam com causas que as mobilizaram para além dos limites domésticos. E não se calaram diante de ações que ameaçavam o Meio Ambiente, os animais e as pessoas. Ler mais

porRedação

AGAPAN realiza oficina sobre transgênicos no FSM temático

No momento em que o Brasil contabiliza dez anos de cultivo de transgênicos e que Porto Alegre sedia mais uma edição do Fórum Social Temático, a Agapan promove debate sobre os aspectos socioeconômicos dos transgênicos, enfatizando suas implicações para a saúde humana e ambiental. O debate será realizado neste primeiro dia de FSTemático (21/1), das 19h às 21h, no Memorial do RS, e integra o Eixo 3, sobre Justiça Social e Ambiental (inscrição nº 1129 – atividade autogestionada).

A palestra será proferida por Antônio Andrioli, vice-reitor da UFFS, membro do GEA, especialista em meio ambiente e representante da Agricultura Familiar na Comissão Técnica Nacional de Biossegureança (CTNBio). Andrioli relatará discussões que participou na Alemanha e na Áustria, em novembro e dezembro de 2013, enfatizando o posicionamento e perspectivas da Comunidade Econômica Europeia sobre a produção e consumo de Organismos Geneticamente Modificados (OGMs), traçando um paralelo com a situação nacional no momento em que contabilizamos dez anos de cultivo de transgênicos no Brasil.

Após palestra de contextualização, coordenada pelo engenheiro agrônomo Leonardo Melgarejo, membro do GEA e da AGAPAN, será aberto espaço de debates e manifestações da plenária. “Durante o evento serão coletadas manifestações da plenária com vistas à construção de propostas de encaminhamento”, destaca o presidente da Agapan, Alfredo Gui Ferreira.

A promoção é da: Agapan, Grupo de Estudos em Agrobiodiversidade (GEA), do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS). Com o tema central Crise Capitalista, Democracia, Justiça Social e Ambiental, o FST acontece entre os dias 21 e 26 de janeiro, em Porto Alegre e Canoas.

Convite no Facebook:
https://www.facebook.com/events/406665602769215/

Informações pelo http://www.forumsocialportoalegre.org.br

Assessoria de Imprensa da Agapan

www.agapan.org.br

porRedação

AGAPAN divulga documento sobre o Pampa, pós-seminário de dezembro, e faz chamamento à sociedade

2014-01-06 00:39:45 +00001O documento reproduzido no site da AGAPAN – Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural, associada da APEDeMA/RS, é resultado de um processo de cobrança de parte da sociedade para com os governos que resultou na realização em 10 de dezembro de 2013, no Auditório da Faculdade de Economia da UFRGS, do Painel “Bioma Pampa, Presente e Futuro: o que temos a apresentar aos gaúchos?”. O objetivo do encontro foi avaliar a situação atual do bioma e as perspectivas quanto às políticas públicas voltadas tanto ao Pampa como aos Campos Sulinos, no Rio Grande do Sul.   Estiveram presentes nas apresentações do painel o Professor Dr. Valério De Pata Pillar (Departamento de Ecologia da UFRGS); o Biólogo, Dr. Luís Fernando Perelló, Secretário Adjunto da SEMA-RS, representando o Governo do Estado; e o Biólogo, MSc. João Soccal Seyffarth, pelo Ministério de Meio Ambiente.
Uma semana após, em 17/12, a AGAPAN, o Movimento Gaúcho em Defesa do Meio Ambiente (MOGDEMA) e o Projeto Construindo Consciência Crítica – Inst. Biociências – UFRGS,  divulgaram o documento reproduzido abaixo, com uma série de questionamentos e reivindicações a respeito de políticas exercidas na região do Pampa por diferentes órgãos de Governo que atuam de forma contraditória na região.
Dentre as solicitações estão a de que seja criada a Reserva da Biosfera do Bioma Pampa e a inclusão do Pampa como patrimônio reconhecido pela Constituição Federal  e a criação de novas unidades de conservação na região, permitido o seu manejo pela pecuária, em especial a pecuária familiar.  Ler mais
porRedação

Encontro em Melo sobre bacia da Lagoa Mirim, conta com presença do CEA

Humedales da região lacunar. Foto Cintia Barenho/CEA

Neste sábado (28/9/2013) será realizada na cidade uruguaia de Melo, departamento de Cerro Largo, o “Encontro Bi-nacional da Bacia da Lagoa Mirim e o Direito Humano à Água”, no Instituto de Formação Docente dessa localidade (Aparicio Saravia 441, de 9 a 17 horas).

“O objetivo será apresentar o Diagnóstico Socioambiental da bacia no território uruguaio realizado pela equipe da Faculdade de Ciências da Universidade da República e do Programa Uruguai Sustentável, e do outro lado da fronteira com as vozes dos nossos vizinhos brasileiros sobre a situação da bacia”, diz a convocatória à atividade.

Os organizadores são a Comissão Nacional em Defesa da Água e da Vida (CNDAV), o Sindicato de trabalhadores da empresa pública de água OSE (FFOSE), REDES – Amigos da Terra Uruguai e o Programa Uruguai Sustentável, com o apoio do Instituto de Formação Docente de Melo e o Centro de Estudos Ambientais do Rio Grande do Sul, associado da APEDeMA/RS. . Farão uso da palavra militantes especialistas no tema, tanto do Uruguai quanto do Brasil.

Ler mais

porRedação

IGRÉ retira-se do CDES/RS

Presença serve apenas para homologar decisões voltadas para o crescimento econômico, sem preocupação com a qualidade ambiental e o princípio da sustentabilidade

A IGRÉ – Amigos da Água, em correspondência enviada à Coordenação da APEDeMA/RS – a federação das entidades ambientalistas gaúchas – nesta quinta-feira, 25/7, informa a saída do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social – CDES -, criado pelo atual Governador do Estado. O assunto foi pauta na reunião ampliada da Coordenação realizada em 20/7. Diz a carta, assinada por Georgina Bond Buckup, conselheira representante IGRÉ, e Luwig Buckup, assessor técnico representante IGRÉ, que “Como já havíamos exposto aos representantes das entidades ambientalistas presentes, estamos convencidos de que a nossa presença e possível atuação junto ao CDES não vem correspondendo satisfatoriamente às expectativas geradas pelos movimentos ambientalistas institucionalizadas da sociedade civil no que se refere ao atendimento das demandas básicas definidas ao ensejo de nosso ingresso naquele conselho”.

A mensagem ainda afirma que “Mais do que isto, percebemos que a nossa presença no CDES, a medida em que nossos pleitos não são sequer apreciados adequadamente, serve apenas para homologar decisões tomadas pela maioria dos conselheiros, os quais, comprometidos com prioridades previamente elencados pelos executivo estadual e apoiados pelos setores empresariais, apóiam e implementam apenas ações voltadas para  o crescimento econômico, sem qualquer traço de preocupação com a qualidade ambiental e o principio da sustentabilidade.”

A respeito da postura geral do atual Governo do Estado em relação às questões ambientais, afirmam: “Entendemos que no CDES  apenas se reproduz, em escala mais ampla, o flagrante descaso do Governo do Estado do Rio Grande do Sul,  com as questões ligadas à conservação da qualidade ambiental no território sulriograndense. Em síntese, o CDES não representa um espaço adequado para a presença e a atuação das organizações sócio-ambientalistas do Estado.”.

Mais informações:

porRedação

TVE e Paulo Brack (INGÁ): Frente a Frente debate o novo Código Florestal Brasileiro

O Frente a Frente desta semana, Programa da TVE, entrevista o biólogo e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Paulo Brack. Ele faz uma análise das mudanças aprovadas no Código Florestal Brasileiro pela Câmara dos Deputados e critica a redução das Áreas de Preservação Permanentes (APPs) na margem dos rios fazendo um alerta para a situação no Brasil.

Clique aqui e confira uma das reportagens do Sul21 sobre o Código Florestal, com entrevista com Paulo Brack.

Na bancada do Frente a Frente, os jornalistas Glauco Menegheti, responsável pela editoria de Rural do Correio do Povo, Juarez Tosi, editor da Ecoagência do Rio Grande do Sul, e Gisele Loeblein, editora do caderno Campo e Lavoura da Zero Hora.

O programa Frente a Frente também é transmitido pela rádio FM Cultura, que pode ser sintonizada pela frequência 107,7 ou pela internet acessando o site www.fmcultura.com.br. O Frente a Frente tem apresentação de Vitor Dalla Rosa e produção de Sandra Porciúncula e pode ser assistido na quinta, 3/05, às 22h, e no domingo, 6/05, às 21h, apenas pela TVE.

Reveja o Programa da TV21 sobre o Código Florestal e a entrevista do prof. Paulo Brack com a repórter Rachel Duarte.

porRedação

Carta do Leitor: Comitê em Defesa das Florestas

Com 21 artigos modificados no novo texto do Código Florestal que, provavelmente, vai a votação na próxima terça-feira (24), o relatório do deputado Paulo Piau (PMDB-MG) é a “volta do texto da primeira passagem pela da Câmara, agora com maior número de artigos”, na visão do coordenador da Campanha do Greenpeace pelo Desmatamento Zero, Márcio Astrini. “Eles (ruralistas) fazem o relatório em sessenta artigos pra tentar passar pelo Congresso, porém, se a gente fizesse um exercício da verdade nesse código, o texto inteiro poderia ser resumido em poucos artigos: como não precisar que se recupere nada e como as áreas que ainda estão de pé são passíveis de desmatamento sem qualquer condicionante técnica”, afirma.

A versão aprovada no Senado, em dezembro do ano passado, estabelecia que em Áreas de Preservação Permanente (APP) para rios com cursos d’água de até 10 metros de largura, os produtores deveriam recompor 15 metros de vegetação nativa. Para os rios com leitos superiores a 10 metros, a faixa de mata ciliar a ser recomposta deveria ter entre 30 e 100 metros de largura. Em seu relatório, Paulo Piau retirou do texto aprovado pelos senadores a exigência de recuperação das APPs às margens de rios, defendendo que o assunto deva ser tratado em outro momento, por meio de projeto de lei ou medida provisória. “Caberá ao poder Executivo, na definição dos critérios e parâmetros que nortearão o Programa de Regularização Ambiental (CAR), a fixação dessas faixas de proteção considerando as particularidades ambientais, sociais e econômicos de casa região”, diz o relatório.

Leia artigo completo em: CEA.

E…

http://www.comiteflorestas.org.br/

 http://sosambiental.wordpress.com/

http://www.florestafazadiferenca.org.br/home/

porRedação

Itamaraty lança plataforma online para público participar da Rio+20

Quem quiser participar das discussões que antecedem a Rio+20, que será realizada de 13 a 22 de junho, no Rio de Janeiro, já pode fazê-lo por meio da plataforma online, lançada pelo Itamaraty nesta segunda-feira e aberta ao público pelo linkhttps://www.riodialogues.org, para discutir os seguintes temas:

1.    Desenvolvimento sustentável para o combate à pobreza;
2.    Desenvolvimento sustentável como resposta às crises econômicas e financeiras;
3.    Desemprego, trabalho decente e migrações;
4.    A economia do desenvolvimento sustentável, incluindo padrões sustentáveis de produção e consumo;
5.    Florestas;
6.    Segurança alimentar e nutricional;
7.    Energia Sustentável para Todos;
8.    Água;
9.    Cidades sustentáveis e inovação
10.  Oceanos

Leia mais no Blog RS URGENTE.

porRedação

Arno Kayser, do Movimento Roessler, lança vídeo sobre ECO92

Em tempos de Rio+20 e Cúpula dos Povos, é bom lembrar o que foi o Fórum Global que há vinte anos é inspiração para o mundo todo. O Fórum Global foi um evento paralelo a ECO-92, Rio-92 – Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (CNUMAD), realizada entre 3 e 14 de junho de 1992 no Rio de Janeiro. O Fórum Global 92, do qual participaram cerca de 10 mil Organizações Não-Governamentais, deu origem a um importante documento, a Carta da Terra, dentre outros.

Em um belo registro de Arno Kayser, do Movimento Roessler, ONG filiada à APEDEMA/RS, pode-se conferir um pouco daqueles dias no Aterro do Flamengo/Rio de Janeiro que marcaram o mundo. Segundo o ambientalista, o vídeo foi algo artesanal feito com uma câmara de mão na casa de amigos. A seleção das músicas foi uma preocupação sutil do Movimento Roessler. Elas são cantadas em vários idiomas para dar o clima da reunião e todas as canções falam da defesa de um mundo melhor.

Clique aqui e confira o Vídeo de Arno Kayser.

porRedação

NAT – Amigos da Terra Brasil e a Cúpula dos Povos na Rio+20

Excelente matéria sobre a Cúpula dos Povos, evento paralelo ao evento oficial da Rio+20 na revista Poli da Fiocruz mar/abr 2012. Nela, encontra-se  entrevistas com Pablo Solon, Lúcia Ortiz (NAT), Camila Moreno (NAT), Luís Zarref, Sandra Quintela, dentre outros.

Clique aqui e leia na íntegra a matéria veiculada no blog dos Amigos da Terra Brasil.

porRedação

FST/2012 – NAT e CasaTierra em depoimento à TV Carta Maior

Fernando Campos Costa, do Núcleo Amigos da Terra Brasil, associada da APEDeMA/RS, e CasaTierra, fala à TV Carta Maior, em matéria realizada pela Jornalista Júlia Aguiar, sobre o Acampamento Intercontinental da Juventude e a organização que recebeu milhares de jovens do mundo todo a Porto Alegre.

porRedação

Artigo de Paulo Brack sobre Declaração da Assembléia dos Movimentos Sociais no site do INGÁ

O INGÁ – Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais, afiliado da APEDEMA, apresenta um site com inúmeras possibilidades de pesquisa sobre temas como energia, zona rural, silvicultura e o trabalho do Coletivo Camboim, grupo de educadores ambientais do INGÁ. Também podem ser encontrados artigos de opinião e debate sobre temas atuais que influenciam diretamente a atuação dos Movimentos Sociais, como o artigo do Prof. Dr. Paulo Brack, da UFRGS, membro do INGÁ e da Coordenação da APEDEMA/RS, sobre a Declaração dos Movimentos Sociais.

Diz Brack em seu artigo: “Uma Declaração de Movimentos não pode prescindir da democracia e dos  temas brasileiros! A chamada Declaração dos Movimentos Sociais, apesar de trazer questões preocupantes quanto às Mudanças Climáticas, Transgênicos, e inclusive o Sistema Capitalista (Sistema de Esgotamento da Vida), infelizmente ignorou algumas das principais bandeiras de luta do movimento ambientalista brasileiro.”

 Clique aqui para ler  na íntegra o Artigo de Paulo Brack e visite o site do INGA.

Professor Paulo Brack ao centro, ao lado da Professora e Jornalista Ilza Girardi e do Professor Ludwig Buckup

porRedação

Maricá no Fórum Social Temático

Considerando o FST como um espaço aberto e plural, a programação do Fórum foi fundamentalmente constituída por atividades propostas e geridas por movimentos, coletivos e organizações da sociedade civil, relacionadas ao tema “Crise Capitalista, Justiça Social e Ambiental”, o Grupo Maricá, de Viamão, ONG afiliada da APEDEMA, esteve presente em diferentes momentos e espaços de discussão do FST.

Integrante do Maricá na Marcha de Abertura do Fórum Social Temático

Passeata de Abertura (24/01)

Representantes do Maricá, com representantes de entidades da sociedade civil, conselhos, membros da FADERS, SJDH e do CONADE, participaram da Marcha de Abertura do FST, levando as ruas a Campanha Nacional de Acessibilidade, com a versão gaúcha.

Controle Social e Democracia Participativa (26/01)

O grupo Maricá participou desse debate que fomentou justamente uma reflexão sobre os espaços de participação e os mecanismos de atuação da sociedade civil organizada. O Fórum é um espaço que possibilita o diálogo e a participação na construção de sociedades democráticas, sendo este um dos grandes desafios dos debates e interlocuções propostos pelos presidentes do CONADE, Moises Bauer e do Conselho Nacional da Assistência Social (CNAS), Carlos Ferrari.

Redes, Sustentabilidade e Acessibilidade (27/01)

Tendo como palco o Jardim Botânico, foram estabelecidos debates sobre acessibilidade e sustentabilidade, com presenças da Universidade Federal de Santa Maria, Faculdade Cenecista de Osório, Rede Sulbrasileira de Educação Ambiental, Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, FADERS e COEPEDE. O debate esteve centrado na aproximação das redes de educação ambiental, do movimento das pessoas com deficiência e mais além, articular os conceitos de acessibilidade e sustentabilidade e fez parte do II Tecendo Redes.

Participantes do debate sustentabilidade e acessibilidade no Jardim Botânico

 

 

Jornada Internacional de Educação Ambiental (28/01)

O Maricá esteve presente na II Jornada, que retomou o processo da I Jornada Internacional de Educação Ambiental realizado no âmbito da Rio 92/Fórum Global, na qual foi aprovado um pacto mundial para educação ambiental denominado Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global. A II Jornada rumo a Rio+20 visa construir uma rede planetária de educadores para Sociedades Sustentáveis.

Maricá na Jornada Internacional de Educação Ambiental

Debate discute cidades sustentáveis

Ocorreu na quarta-feira (25/01), durante o Fórum Social Temático, importante debate sobre cidades sustentáveis, com participação de diversos painelista, com destaque para o teólogo Leonardo Boff, a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva e Oded Grajew, do Instituto Ethos.

Maricá no debate sobre cidades sustentáveis

 

O Grupo Maricá, entidade ambientalista afiliada da APEDEMA de Viamão, esteve no evento e pretende construir uma carta similar para a campanha eleitoral. “vamos tencionar partidos e candidatos a assumirem responsabilidade com o meio ambiente e  com a igualdade. Entendemos que a construção de uma cidade sustentável envolve cidadania, acessibilidade e direitos humanos. Com relação ao código florestal, temos confiança no veto presidencial, mas não somos ingênuos e sabemos as condições em que foram realizadas as votações.”

Militantes do Maricá tem participado de vários momentos o Fórum Social Temático e estarão coordenando reuniões com a rede Brasileira de Educação Ambiental (REBEA) e a REASUL (Rede Sulbrasileira de Educação Ambiental), todas preparatórias para a Rio+20.

porRedação

APEDEMA/RS presente na Assembleia dos Movimentos Sociais em Porto Alegre

Em clima de harmonia e união, aconteceu neste sábado (28/1/2012), a Assembleia dos Movimentos Sociais, no Fórum Social Temática, em Porto Alegre, na Usina do Gasômetro, às 13h, reunindo em torno de 1,5 pessoas. À mesa: João Pedro Stedile, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), José Miguel, da Central dos Trabalhadores de Cuba (CTC) e Rosane Bertoti, da Central Única dos Trabalhadores (CUT). A Assembleia dos Movimentos Sociais teve como objetivo reunir os movimentos que compõem a Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS) para discutirem especificamente suas demandas, além de fortalecer um calendário de lutas em comum para o próximo período.

A articulação de Os Verdes de Tapes, quando o ambientalista Júlio Wandan reenviou um convite recebido pela Rede dos Verdes para Coordenação, anexado a uma carta que enviou para o jornalista que divulgava o  evento, comentando a importância da APEDEMA estar envolvida. Dizia a carta: “(…) sinto que está em falta uma parte do Movimento Social, se não estiver presente algum representante de nossa Assembléia de entidades ambientalistas do RS, que representa mais de 35 entidades em todo o RS. O que seriam dos Movimentos Sociais, se os ativistas ambientalistas não fossem considerados ‘sociais’ também?” deu resultado. Sem ter retorno da Coordenação do evento, mas considerando essa observação, a Coordenação da APEDEMA esteve presente ao evento tentando garantir uma inscrição nas falas.

As primeiras respostas à inscrição da APEDEMA foram negativas, pois a CMS havia delimitado critérios: ONGs de atuação Nacional e Internacional. Foi preciso argumentar, explicando sobre a participação das ONGs afiliadas à APEDEMA/RS nos Conselhos de nível nacional, tais como: CONAMA, MATA ATLÂNTICA, dentre outros. Havendo a aprovação da inscrição, a Coordenação, representada pela ASPAN/RS e a AGAPAN/RS elaboraram uma intervenção rápida, após leitura criteriosa da Declaração da Assembléia dos Movimentos Sociais de Porto Alegre (RS) Brasil e levando em conta os principais pontos discutidos em reuniões pregressas sobre a Rio+20, bem como nos encontros do dia 26/1/2012, à tarde, na UFRGS (Oficina sobre as hidrelétricas) e, à noite, na comunidade Utopia e Luta, na sequência do lançamento da Exposição Virtual “Arte e Ecologia” – GRAFAR & APEDEMA. No dia 26, estiveram presentes ONGs membros da APEDEMA, o ativista Sylvio Nogueira (representando o MOGDEMA e o Movimento em defesa da Orla do Guaíba), representantes de Utopia e Luta e integrantes da APEDEMA do Rio de Janeiro.

Assim, a AGAPAN, na pessoa de Edi Fonseca, em nome das 37 ONGs afiliadas da APEDEMA, apresentou:

1. Apresentou a APEDEMA;

2. Declarou o apoio integral da APEDEMA ao documento produzido pelos Movimentos Sociais no FST POA/2012;

3. Solicitou a inclusão da APEDEMA e dos ecologistas no Comitê Organizacional dessa preparação para Rio+20; (O que foi encaminhado formalmente pela Coordenação ao representando da CUT no RS).

4. Declarou que “somos contra o genocídio dos povos indígenas e de seu modo harmonioso de viver com a natureza. Eles são as principais vítimas do capitalismo, do capitalismo mercantilista colonial até o capitalismo técnico-científico-informacional;

5. Denunciou o modelo energético brasileiro, por ser um modelo militarista da década de 70, bem como a construção indiscriminada de barragens;

6. Denunciou o modelo de agricultura que usa veneno na sua forma de produção;

7. Colocou a disposição dos ambientalistas gaúchos de trabalhar junto com os Movimentos Sociais, na divulgação da Declaração e na organização de eventos. Em especial, o do dia 05 de junho, que pretende ser uma ação GLOBAL.

A Assembléia serviu como uma espécie de análise de conjuntura internacional dos Movimentos, quando foi debatida a crise do sistema capitalista, havendo uma   denuncia reiterada às falsas soluções apresentadas pelo sistema à crise – o que chamam de economia verde – tendo a compreensão de que esse problemas nada mais são do que consequências do próprio sistema capitalista”.

A Declaração da Assembléia dos Movimentos Sociais Porto Alegre (Clique aqui para ler a Declaração completa.)  foi uma bandeira de luta em comum construída entre os movimentos sociais.  Ela reafirmou os eixos de luta, adotados em Assembléia, em 2011: “Luta contra as transnacionais; luta pela justiça climática e pela soberania alimentar; luta para banir a violência contra a mulher; luta pela paz e contra a guerra, o colonialismo, as ocupações e a militarização de nossos territórios, dentre outros”.

Além da AGAPAN (Edi Fonseca) e da ASPAN (Ana Carolina), representando a Coordenação da APEDEMA, estiveram presentes no evento, Sylvio Nogueira (MOGDEMA e Movimento em defesa da Orla) e integrantes do NAT/Brasil, sendo que Fernando Costa, ativista e permacultor, foi inscrito em nome dos Amigos da Terra internacional, e ratificou as principais lutas socioambientais das quais a APEDEMA também faz parte.

 Ver mais em: CUTPortal Vermelho, Jornal do Brasil, RBS, Yana Marull, Um outro jornalismo é possívelEl Alba de Movimientos Sociales, SUL21

GALERIA

Fotos do evento e de Júlio Wandan (Os Verdes de Tapes), nesse registro feito por Antônio Soler (CEA/Pelotas) está também Lucinda (GESP/Passo Fundo).

Este slideshow necessita de JavaScript.

porRedação

Protesto contra censura na Internet

O Centro de Estudos Ambientais – CEA, integrante da APEDeMA/RS, avalia que o projeto a ser apreciado no Congresso Norte-Americano que restringe a publicação de informações na Internet, conhecido como SOPA – Stop Online Piracy Act (em tradução livre, Lei de Combate à Pirataria Online), é altamente prejudicial à circulação de idéias e posições críticas também atingindo o ativismo ambiental. O texto, incluído em seu blog, começa assim:

Imagina só se uma denúncia de crime ambiental, aqui no blog, seja uma infração aos direitos autorais de tal empresa criminosa? Isso é só um exemplo, tantas outras coisas podemos pensar. Educação Ambiental se faz com compartilhar. Se não for assim é qualquer outra coisa que não EA. É muitos andam querendo fechar o cerco e devemos estar atent@s. Internet se faz com liberdade e a democracia!

Veja o texto integral.

porRedação

FSM – ONGs ecológicas preparam debates em Porto Alegre

Matéria do Jornal do Comércio / Porto Alegre, 5/1/2012O Jornal do Comércio  desta quinta-feira (5/1/2012) publica na página 22 da versão impressa extensa matéria sobre a atuação da ONG Maricá, do Núcleo Amigos da Terra Brasil e da AGAPAN, todas as três associadas da APEDeMA, na edição descentralizada do Fórum Social Mundial 2012 que será realizado na Região Metropolitana de Porto Alegre de 24 a 29 deste mês. A matéria é de Juarez Sant´Anna, da editoria de Política do jornal e ilustrada com foto da Geóloga Lúcia Ortiz, do NAT Brasil.  Leia a íntegra.

porRedação

Indústria do alumínio: A floresta virada em pó

O Núcleo Amigos da Terra Brasil, integrante da APEDeMA/RS, e a Cooperativa Catarse – Coletivo de Comunicação, respectivamente, realizador e produtora da reportagem Indústria do Alumínio: A floresta virada em pó vem por meio desta nota manifestar a satisfação com a repercussão e o grande número de acessos à reportagem e contestar a tentativa de desqualificação que a Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) apresentou aos leitores de Carta Maior, ao indicar como exageradas, infundadas e despropositadas as denúncias levantadas por nossa pesquisa de campo sobre a mineração de bauxita e a indústria do alumínio na Região Norte do País. Apresentamos situações graves, fartamente documentadas e de caráter público – todas, inclusive, com repercussões judiciais e administrativas nas instâncias cabíveis, ou seja, com base na veracidade dos fatos -, e que, para nosso espanto, imaginávamos serem do conhecimento da ABAL. Veja a íntegra da manifestação e links para as reportagens aqui.