Cíntia Barenho fala sobre a descaracterização de Porto Alegre

Destruição na praça Otávio Rocha, em Porto Alegre. A militante Cintia Barenho, do Centro de Estudos Ambientais, de Rio Grande/Pelotas, entidade associada da APEDeMA/RS,  atualmente morando e trabalhando em Porto Alegre, publicou artigo no saite da entidade discorrendo sobre a arborização da capital

O artigo é intitulado Porto Alegre já foi demais...

Cintia inicia o artigo assim: Muito se utiliza a nossa capital, Porto Alegre, como exemplo de arborização urbana, de como é possível e passível de convivência árvores e calçadas e/ou vias urbanas. Mas aos poucos a atual política partidária, de interesses poucos ecológicos, mostra suas “garras”. Algumas das principais praças da cidade estão passando por uma revitalização bem duvidosa, onde remete-se as décadas do século passado para achar a tal “inspiração”. Inspiração essa que nada mais é que acabar com as praticamente centenárias árvores que ali foram plantadas, não pensando naquela época, mas pensando na nossa, para que nós, cidadãos e cidadãs urbanóides pudessemos desfrutar de sombras num tempo onde as mudanças climáticas são pauta do dia-a-dia. 

Veja aqui o artigo completo 

Next Post

Pioneirismo gaúcho marca movimento ambientalista brasileiro

qua jan 18 , 2012
Em artigo especial para a Carta Maior, a jornalista Naira Hofmeister relata como foram os anos de pioneirismo gaúcho no movimento ambientalista brasileiro.  Relatou a jornalista que ainda na primeira metade do século XX, com Henrique Luis Roessler, e mais recentemente com José Lutzenberger e a Associação Gaúcha de Proteção […]
Send this to a friend