Revista Educação Ambiental em Ação completa 20 anos

No último dia 5 de junho a Revista Educação Ambiental em Ação completou 20 anos. São mais de 4 mil artigos publicados em 79 edições.

Conta o site da Revista que foi num grupo de profissionais independentes envolvidos com a Educação Ambiental e o meio ambiente que tudo começou. “Neste grupo compartilhamos desde lançamentos de livros, artigos acadêmicos, notícias, matérias e também rolavam alguns debates — até que um dia tivemos a ideia de lançar uma revista, para não ficarmos apenas na troca de informações e, efetivamente, fazermos algo além de discutir e de nos informar“, diz a editora Bere Adams.

Todas as pessoas que se interessaram pela ideia reuniram-se em outro grupo e a revista começou a ser moldada. Exatamente nove meses depois, em 5 de junho de 2002, houve o lançamento da primeira edição.

Atualmente, com mais de 4.000 artigos publicados em 79 edições, o banco de dados constitui um legado que continuará a se expandir. A revista conta com ferramentas interativas — com um sistema de manutenção exclusivo criado e atualizado pelo editor responsável técnico Julio Trevisan — que possibilitam a pesquisa dentro do site, além de cadastramento de leitores, e disponibilidade de todos os volumes publicados desde 2002.

Em maio de 2022, a Revista havia tido mais de 21 milhões de acessos.

A edição comemorativa de junho de 2022 traz, entre outros artigos, um sob o título “Música e Educação Ambiental: levantamento das experiências pedagógicas publicadas em artigos no Brasil”. Os autores, Karine Wagner Oliveira Alves de Melo, licenciada em Ciências Biológicas, e Francisco Nairon Monteiro Júnior, do Departamento de Educação, ambos da Universidade Federal Rural de Pernambuco, apresentam levantamento realizado em periódicos de educação ambiental do Brasil, buscando entender como a música tem sido utilizada nas pesquisas em educação ambiental.

Traz também entrevista com Luana Rosa, presidente licenciada do Movimento Roessler, de Novo Hamburgo, e participante da coordenação da APEDEMA/RS – Assembleia Permanente das Entidades de Defesa do Meio Ambiente do Rio Grande do Sul. É bióloga, estuda Doutorado em Desenvolvimento Rural na UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e fez Mestrado Profissional em Ambiente e Sustentabilidade na instituição de ensino Universidade Estadual do Rio Grande do Sul – UERGS. Luana desenvolve pesquisas sobre Mudanças Climáticas, juntamente com seu Grupo de Pesquisa em Tecnologia, Meio Ambiente e Sociedade – TEMAS da UFRGS.

Diz a Luana, que “adoraria que a lei que institui a EA no Brasil fosse cumprida, e que de fato pudéssemos falar de Educação Ambiental em todas as disciplinas do currículo, pois ela é fundamental em todos os segmentos da educação — porém, infelizmente a prática da EA nas escolas não tem sido integrada de forma interdisciplinar como gostaríamos”. Diante do fato, defende que a Educação Ambiental seja ministrada como disciplina específica da grade curricular, “dada sua importância e ampla necessidade de debate.

— Veja a íntegra da Revista de Educação Ambiental, edição 79, neste link. Acesso também às edições anteriores.

 

Next Post

Evento transferido para 2/7 — Solstício de Inverno e Festa Junina são comemorados na FAE

ter jun 21 , 2022
Em respeito a uma parceria entre moradores da cidade de Porto Alegre e famílias produtoras do campo, iniciada em 1989, a FAE – Feira de Agricultores Ecologistas – realizaria neste sábado (25/06) sua comemoração do Solstício de Inverno e a Festa Junina. O evento foi transferido para 2 de julho […]
Send this to a friend