Extraclasse Julho 2013 pag. 24O jornal Extraclasse, edição de julho de 2013, publica matéria do jornalista Ariel Fagundes, intitulada “Milho transgênico bancado pelo Estado”, em que relata como o “Governo gaúcho volta a subsidiar milho geneticamente modificado pela Monsanto e Dow Agroscience”.  O Extraclasse é uma publicação mensal do SINPRO – Sindicato dos Professores do Rio Grande do Sul.

No box  “Cartas marcadas”,  é relatado por Paulo Brack, membro do Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais – INGÁ, integrante da APEDeMA/RS, como os ecologistas foram impedidos de permanecerem na sala de reunião do Feaper (Fundo Estadual de Apoio aos Pequenos Empreendimentos Rurais) que recolocou o tema dos OGMs no programa Troca-Troca, do Governo do Estado, sob a alegação, do secretário estadual Ivar Pavan, de o local ser pequeno demais.

A declaração atribuída ao Professor Brack, retirada expressamente do site da APEDeMA/RS, referindo-se à determinação de sair do local, “tal procedimento foi criticado pelos ambientalistas, pois (…) se contradiz à transparência e ao acesso à informação em atos  públicos, já que se tratam de recursos públicos (…) e a decisão implica um conjunto de riscos à saúde, ao meio ambiente, à soberania alimentar e à autonomia dos agricultores familiares”.

Na mesma edição, o jornalista Roberto Villar Belmonte, publica matéria sobre “O tão farto quanto polêmico Carvão”, páginas 22 e 23.