Arquivo de tag Mobilização

porRedação

Associados da AGAPAN debatem prioridades para 2015

Fotos: Edi Fonseca

Durante reunião geral realizada neste sábado (20/12) no orquidário do Parque Farroupilha (Redenção), em Porto Alegre, membros da diretoria, dos conselhos e associados da Agapan tiveram a oportunidade de participar de uma confraternização de final de ano e debater o futuro da entidade.

Entre os assuntos tratados, estiveram na pauta as ações realizadas em 2014, as dificuldades que a entidade está enfrentando em relação à sua sede, que foi destruída em 2013, e os desafios para 2015.
Diante das já inquestionáveis mudanças climáticas e das crescentes e constantes ameaças aos ecossistemas naturais, o grupo reafirmou o compromisso de ampliar a luta em defesa da natureza.
A futura composição do parlamento federal, resultado das últimas eleições no Brasil; os rumos inadequados apontados para o Ministério do Meio Ambiente, com a indicação da ruralista Katia Abreu para comandar a pasta; a tentativa do governo eleito do RS de enfraquecer a Secretaria Estadual do Meio Ambiente; além das recentes flexibilizações das leis ambientais, que permitem o aumento do desmatamento e do uso de agrotóxicos, são fatores que, entre outros, indicam a necessidade de atenção redobrada do movimento ambiental e da sociedade em geral. A união de esforços para combater o perigoso rumo, que aponta para a ampliação da degradação ambiental e de problemas climáticas, é imprescindível para os próximos anos.
+ #ativismo
Entre os objetivos da Agapan para 2015, está a realização de um curso para formação de ativistas na área ambiental. Todos os interessados poderão participar. Mais informações serão disponibilizadas, em breve, no blog e nas redes sociais da entidade.

Página da Agapan no Facebook

porRedação

Dia do Bioma Pampa: olhares sobre a biodiversidade, a economia e a cultura

O Dia do Bioma Pampa, 17 de dezembro, vai ser comemorado em Porto Alegre com uma mesa redonda intitulada “Um olhar sobre o horizonte“. O biólogo Eduardo Vélez, pesquisador da Rede Campos Sulinos, vai apresentar a biodiversidade do Bioma através de uma mostra das paisagens, da flora e da fauna. Ele abordará também aspectos da nova Lei 12.651, de Proteção de Vegetação Nativa, o antigo Código Florestal, e a conversão dos campos que vem ocorrendo em função da expansão da agricultura.  O professor do Departamento de Plantas forrageiras e Agrometeorologia da UFRGS, Carlos Nabinger, representante da Fundação Gaia, vai tratar das formas de manejo sustentável da pecuária que proporcionam maior produtividade nos campos, melhoram os serviços ecossistêmicos e promovem a qualidade diferenciada do produto, uma carne mais saudável.
 
O Coletivo Catarse sera sera representado por Tiago Rodrigues, que vai abordar a realização do documentário Carijo. O trabalho busca valorizar uma cultura ancestral, de raiz indígena e em fase de extinção, mas que é base histórica da produção da bebida símbolo do Rio Grande do Sul: o chimarrão.  A engenheira florestal Sílvia Pagel, representante do Mogdema, fará a moderação.
  • O evento acontecerá no Auditório 2 da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação (Fabico) da UFRGS, na rua Ramiro Barcelos, 2705, às 19h da próxima quarta-feira.O bioma Pampa foi reconhecido oficialmente só 2004 pelo IBGE com o Mapa de Biomas do Brasil. E, o Dia do Bioma Pampa foi instituído em 2007. A data é uma homenagem ao ambientalista José Antônio Lutzenberger.
  • A promoção é do Movimento Gaúcho em Defesa do Meio Ambiente (Mogdema), da Agapan, do Ingá e do NEJ-RS. A atividade tem o apoio da Fundação Gaia. 
Texto da jornalista Eliege Fante
porRedação

Cinturão Verde de Porto Alegre: TeRRitóRio em DiSputA

caminhos rurais

A parceria entre o Instituto Econsciencia, o Coletivo Catarse e os Amigos da Terra Brasil, resultou no documentário Cinturão Verde de Porto Alegre: Território em Disputa.

Porto Alegre está em disputa. Dê um lado, construtoras e imobiliárias, que enxergam a cidade como uma mercadoria e tem intenção de transformar todos os espaços possíveis em lucro. Do outro, cidadãos que vêem a metrópole como um lugar para se viver, onde se acolha dignamente todas as pessoas, tenham dinheiro ou não. Onde se respeite a biodiversidade local, suas matas e ambientes naturais, seus animais silvestres e sua produção de alimentos. Ler mais

porRedação

AGAPAN: Nota contra depósitos de agrotóxicos próximo a residências

A AGAPAN – Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural, associada à APEDeMA/RS, assinou nota de repúdio, com outras instituições representativas, contra a aprovação de dispositivo em projeto de lei estadual, atualmente tramitando na Assembleia Legislativa do Estado, que prevê a liberação da instalação de depósitos de agrotóxicos em áreas antes proibidas, como próximo a residências.

Veja a íntegra a seguir.

Nota de Repúdio ao Projeto de Lei Estadual nº 154/2014

O Fórum Gaúcho de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos, espaço permanente, plural, aberto e diversificado, que visa a debater questões relacionadas aos impactos negativos dos agrotóxicos e produtos afins na saúde do trabalhador, do consumidor, da população e do meio ambiente, possibilitando a troca livre de experiências e a articulação em rede da sociedade civil, instituições e Ministério Público, vem, por meio desta Nota, manifestar-se veementemente contra o Projeto de Lei nº 154/2014, que tramita na Assembleia Legislativa, mormente em face de seu art. 2º, o qual estabelece que os depósitos de agrotóxicos “poderão instalar-se e/ou operar, independentemente da distância de residências, em zonas rurais, urbanas mistas, comerciais ou industriais, em consonância com o Plano Diretor do Município e demais leis municipais de parcelamento do solo urbano ou do Estatuto da Cidade”, afastando condição legalmente imposta pela FEPAM ao licenciamento de depósitos de agrotóxicos.

Ler mais

porRedação

Atualizada – CONSEMA: InGá obtém liminar na Justiça

2013-12-24 21:08:43 +00001Neste dia 17 de setembro de 2014, o Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais (InGá), entidade ambientalista no Conselho Estadual de Meio Ambiente do RS (Consema), obteve liminar, por meio de ação civil pública proposta no plantão da Justiça de Porto Alegre, cancelando  a votação de propostas de atualização de Resolução 102/2005 do Consema. A liminar foi obtida, em ação elaborada pelo Advogado Marcelo Mosmann, por meio de decisão da juíza Nadja Mara Zanella, que garantiu prazo regimental para apresentação de manifestação de Conselheiros.

(ATUALIZAÇÃO – A decisão da juíza plantonista foi suspensa pelo desembargador plantonista do TJ, ao analisar Agravo interposto pelo Estado do Rio Grande do Sul. A decisão foi comunicada ao Presidente do CONSEMA, Secretário do Meio Ambiente, quando a sessão já transcorria. No entanto, a presidência dos trabalhos decidiu transferir a análise do tema para a próxima sessão do colegiado, na próxima semana.) Ler mais

porRedação

Hoje, 11/9, tem reunião do Conselho Estadual do Meio Ambiente

Entidades ambientalistas filiadas à APEDEMA estarão presentes à reunião. Veja a pauta:

Ler mais

porRedação

Amigos da Terra, Econsciência e Catarse realizam vídeo sobre a Zona Sul de Porto Alegre

Em um projeto patrocinado pelo CASA – Centro de Apoio Sócio-Ambiental, o Núcleo Amigos da Terra Brasil, o Instituto Econsciência e o Coletivo Catarse estão produzindo um vídeo sobre a especulação imobiliária na zona sul da Capital gaúcha, Porto Alegre. Desde as grandes mudanças no Plano Diretor da cidade, em 1999, o uso da região sul, tradicionalmente produtora de alimentos, foi modificado para ser ocupada por condomínios de luxo e vilas populares, com a transposição de moradores de baixa-renda da cidade mais densificada, criando grande número de habitações sem ocupações na região central, a partir da constatação de que a população geral no Município pouco cresceu nos últimos anos.. O vídeo pergunta: “Zona Sul – Tudo de Bom para Quem ?” parodiando uma campanha de imobiliária local que coloca adesivos plásticos  nos automóveis dizendo – Zona Sul, tudo de bom.

O vídeo será lançado ‘em breve’, diz nota publicada hoje no site dos Amigos da Terra.

Veja a íntegra da nota

porRedação

O veneno está na mesa 2 é lançado em Torres com apresentação de Leonardo Melgarejo 

Ongs se uniram para realizar o evento. (foto:Sandra Ribeiro/Agapan)

Auditório lotado e degustação de alimentos orgânicos marcaram o aniversário de três anos do Cineclube Torres com o lançamento do filme O veneno está na mesa 2, na noite de 1 de setembro de 2014, no Centro Municipal de Cultura. Após a sessão, o documentário que mostra os efeitos dos agrotóxicos  sobre o ambiente, a sociedade e a saúde humana,  foi comentado em uma apresentação do agrônomo e mestre em Economia Rural Leonardo Melgarejo.

Auditório lotado em  Torres. (foto: Sandra Ribeiro/Agapan)

O coordenador do Grupo de Trabalho (GT) Agrotóxicos e Transgênicos da Associação Brasileira de Agroecologia (ABA) alertou que o  consumidor não sabe que os estudos que existem sobre as quantidades  aceitáveis de veneno avaliam somente qual a quantidade provoca intoxicação aguda. ¨Esses estudos garantem que a pessoa que consumir aquela quantidade não vai ter um choque, mas não garantem que uma pequena quantidade não vá afetar uma rota metabólica não vá provocar alguma alteração hormonal que vai se manifestar mais adiante¨.
Leonardo Melgarejo na palestra após o filme.
Conjunto de economias associadas baseadas na agroecologia são economicamente mais vantajosas para o Brasil
Sobre o agronegócio, Melgarejo entende que a argumentação de que gera divisas para a economia não leva em conta os rastros negativos deixados por ciclos monocultores do passado, como borracha, café, cacau, charque, entre outros.
Não há nenhum lugar no planeta onde se tenha uma espécie apenas. A pujança está onde existem parcerias e articulaçãoes: muitos insetos, plantas, animais. A transformação de uma região de floresta numa área de exploração da monocultura implica na eliminação de muitas espécies, o que quer dizer a eliminação de muitas possibilidades de utilização dos recursos daquele ambiente. Uma monocultura, seja do que for, demanda sempre muito esforço, com aplicação de veneno, adubo químico, transferência de dinheiro de outros ambientes para lá.
 Melgarejo sendo entrevistado pela jornalista Miriam
(Centro Ecológico).
Para Melgarejo, o melhor para o Brasil seria um conjunto de economias associadas à produção de leite, animais, frutas e hortaliças ecológicas da agricultura familiar.
Evento faz parte da campanha Orgânicos para todos
O lançamento do filme O veneno está na mesa 2 em Torres foi uma promoção da Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural ( Agapan), Centro Ecológico, Cineclube Torres, Cooperativa EcoTorres e Onda Verde.
O evento integra a campanha Orgânicos para todos, promovida pela Sociedade Sueca de Proteção à Natureza (SSPN). No Litoral Norte e na Serra do Rio Grande do Sul esta campanha mundial é organizada pela ONG Centro Ecológico.
Fotos: Sandra Ribeiro/Agapan
Agapan
porRedação

Entregue propostas sobre questão ambiental a candidatos a Governador

Documento com propostas para serem incluídas nos programas de governo dos candidatos Tarso Genro e Ana Amélia Lemos foram entregues por representantes da Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (Agapan), do Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais (Ingá) e do Movimento Gaúcho em Defesa do Meio Ambiente (Mogdema) nos dias 28 e 29 de agosto, respectivamente.

As propostas, com o objetivo de “sensibilizar os candidatos a Governador para a vexatória condição de indigência promovida por sucessivos governos que não assumiram, efetivamente, a questão ambiental como política de Estado”, foram elaboradas com o apoio das três entidades e dos participantes do Agapan Debate realizado no dia 11 de agosto.
O documento com as 20 propostas pode ser acessado aqui.
Os dirigentes das entidades estão em contato com os demais candidatos para entregarem cópias do documento.

porRedação

HOJE: O Veneno Está na Mesa 2, em Torres, com comentários de Melgarejo e degustação de produtos orgânicos

o veneno esta na mesa 2A Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (Agapan), Centro Ecológico, a Ong Onda Verde,  Cooperativa Ecotorres e o Cineclube convidam  para o lançamento do filme “O Veneno Está na Mesa II”, do consagrado documentarista Silvio Tendler na próxima segunda-feira, dia 01 de setembro, às 19h, no Centro Municipal de Cultura de Torres /RS.
 
O evento dará continuidade ao lançamento do filme “Veneno Está na Mesa II” em nível estadual.
 
Após a  projeção haverá  uma palestra do engenheiro agrônomo Leonardo Melgarejo,da Agapan, que é mestre em Economia Rural e doutor em Engenharia de Produção. Extensionista rural da EMATER-RS, atua no Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra-RS), e coordena o Grupo de Trabalho (GT) Agrotóxicos e Transgênicos da Associação Brasileira de Agroecologia (ABA).
 
Serviço:
  • Dia 01 de setembro – segunda-feira
  • Filme – Palestra – Degustação de produtos orgânicos.
  • Hora: 19 h
  • Local: Centro Municipal de Cultura de Torres/RS.
 
Após o filme haverá degustação de produtos orgânicos.
porRedação

Paulo Brack: Que Rio Grande do Sul queremos ???

Professor Paulo Brack, em curso do InGá, falando sobre as plantas nativas de Porto Alegre – Fonte da Fotografia: página do InGá.

O Professor Paulo Brack foi um dos participantes do último Agapan Debate, realizado no auditório da Faculdade de Arquitetura da UFRGS em 11 de agosto. Para a sua apresentação o Biólogo, professor do Dep. de Botânica da UFRGS e membro da coordenação do InGá – Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais – preparou um material depois transformado em texto com links para as fontes das citações. É este material que está sendo  disponibilizado por este post no site da Apedema/RS – a federação das entidades ambientalistas gaúchas.

O estudo de dez páginas discorre sobre a necessidade de uma reforma política, fortalecimento da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, a necessidade de diagnósticos periódicos da situação ambiental do Estado e de monitoramento do que ainda resta de remanescentes nos biomas Pampa e Mata Atlântica.

Ressalta ainda a necessidade da superação da ‘síndrome do crescimento econômico e do resgate da economia integral – “A busca fundamentalista pelo Crescimento Econômico, inerentemente sem limites, segue sendo uma das causas fundamentais da degradação ambiental, como assinala Vandana Schiva”, disse o palestrante.

Ao finalizar, registrou que ‘um outro Rio Grande do Sul é necessário‘, lembrando que deve-se cobrar dos Governos Federal e Estadual a obrigação da criação do Corredor Ecológico Aparados da Serra – Rio Pelotas, a não distribuição de sementes transgênicas de milho no programa Troca-Troca, entre outras atitudes. É importante garantir que não haja retrocessos também  no Código Estadual de Meio Ambiente, denunciando-se também os políticos e grupos financiados por empresas para combater a emancipação de povos tradicionais e causar retrocessos ambientais.  Sugeriu a leitura do documento Transição Ecológica Necessária, e outros materiais de pensadores, como Michael Lowy, Vandana Shiva, Serge Latouche, Jorge Riechmann, Eddy Sánches, Óscar Carpintero, David Harvey, entre outros, que vêm buscando uma transição pós-capitalista, já que o sistema hegemônico atual é a principal causa da degradação ambiental e da desigualdade social.

 

 

porRedação

Na próxima segunda, dia 11: Agapan Debate – Que Rio Grande queremos?

No próximo mês de outubro, serão escolhidos os futuros representantes que governarão o País e os Estados brasileiros até o final de 2018.
A Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (Agapan), atenta à preocupante situação socioambiental do Brasil e do planeta, e com especial atenção ao futuro do Rio Grande do Sul, promoverá, no dia 11 de agosto, às 19h, no auditório da Faculdade de Arquitetura da UFRGS, em Porto Alegre (RS), mais um Agapan Debate. Nesta edição, o evento debaterá o tema “Que Rio Grande queremos?”.
A partir desse debate, reuniremos indicativos dos participantes para a elaboração de uma carta ambiental a ser encaminhada ao futuro (a) governador (a) do RS com questões relacionadas à administração dos recursos naturais e do patrimônio ambiental do nosso estado.
A Agapan convida os representantes de entidades ambientalistas e os cidadãos do RS a participarem desse evento , reforçando o processo democrático e contribuindo com a produção de propostas para a qualificação do documento final.
O Agapan Debate contará com as participações do atual presidente da entidade, professor doutor Alfredo Gui Ferreira, do diretor presidente da Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler (Fepam) Nilvo Luiz Alves da Silva, e do professor doutor Paulo Brack, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). (Confira, abaixo, os currículos dos participantes).
A participação no evento é gratuita. Na oportunidade serão arrecadados agasalhos para serem doados, através da Defesa Civil do RS, aos desabrigados pelas últimas chuvas no estado.
Debatedores
Alfredo Gui Ferreira – .Biólogo, mestre em Botânica na UFRGS, doutor em Ciências na USP, pós-doutorado nos Estados Unidos. Professor e pesquisador aposentado da UFRGS. Tem perto de cem publicações científicas, foi orientador de mestres e doutores na UFRGS, UnB e UFSCar. Sócio fundador da Agapan e atual presidente da entidade.
Nilvo Luiz Alves da Silva – Diretor Presidente da Fepam
Paulo Brack – Biólogo, mestre em Botânica e doutor em Ecologia. Professor do Departamento de Botânica do Instituto de Biociências da UFRGS. Pesquisador da flora do RS e envolvido em temas de políticas públicas em biodiversidade, com representações em conselhos de meio ambiente, pelo Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais (InGá), onde é um dos coordenadores.

Serviço

  • Agapan Debate
  • Data: 11 de agosto de 2014
  • Hora: 19h
  • Local: Faculdade de Arquitetura da UFRGS – em Porto Alegre (RS)

 

porRedação

Fundação Gaia promove palestra sobre Poluição Eletromagnética e seus danos à saúde

Fundação Gaia“Poluição Eletromagnética e os danos à saúde provocados pela telefonia celular” é o tema da palestra com o professor Álvaro Salles que acontece dia 12 de agosto, promovida pela Fundação Gaia em parceria com a Livraria Cultura de Porto Alegre. O evento inicia às 20h na no auditório da livraria, com entrada franca. Ler mais

porRedação

Antenas de Celulares: entidades pedem ao Prefeito de Porto Alegre para retirar projeto da pauta

Apresentamos aqui o nosso pedido protocolado ao Prefeito de Porto Alegre José Fortunatti.
Apelamos para que não haja no dia 09 de julho (quarta-feira) a votação do polêmico Projeto de Lei 57/13 na Câmara Municipal de Porto Alegre, sem que seja observado o princípio de Precaução.
Ofício nº03/06/2014                                              Porto Alegre, 23 de junho de 2014.
Senhor Prefeito,
 
Vimos, por meio deste, solicitar a V. Exa. que retire da pauta de votação o PLE 57/13, ora em tramitação na da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, objetivando uma avaliação mais criteriosa.
Essa solicitação se baseia no entendimento de que uma lei não pode colocar em risco a saúde dos habitantes da cidade, assim como também não pode, sem a clara explicitação das razões de interesse público que os motivam, criar mecanismos que favoreçam empresas em seus débitos ecom o Município, assim como em débito com a União.
 

Ler mais

porRedação

Transferida votação do projeto de Lei de Porto Alegre que amplia numero de antenas de celulares

68dee-perigos_celularSem quórum para a sessão desta quarta-feira (02) na Câmara de Vereadores de Porto Alegre, a votação do projeto que regula a instalação das Estações de Rádio-Base (ERBs) na Capital foi adiada. O projeto deverá retornar à pauta na sessão da próxima segunda-feira (07), quando terá votações.  A chamada Lei das Antenas propõe a instalação de mais antenas para telefone celular e altera a restrição de 50 metros de distância de uma antena da outra.
Desde que chegou à Câmara, em dezembro de 2013, o projeto tem sido motivo de muitas divergências entre defensores do meio ambiente, prefeitura e operadoras. Ambientalistas sustentam que pesquisas atestam riscos que esses equipamentos oferecem riscos à saúde. Já o governo municipal e as concessionárias de telefonia argumentam que instalação de mais antenas é necessária para melhorar o sinal de celular e de internet e que não há efeitos colaterais.
Fonte e Mais detalhes em www.agapan.org.br 

 

porRedação

Agapan anuncia a marcação de Audiência Pública sobre as Estações de Radiobase para celulares

O site da AGAPAN – Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural, associada da APEDeMA/RS, está informando a realização, pela Câmara Municipal de Porto Alegre no próximo dia 26/6,  de  Audiência Pública sobre ERBs (Estações de Antenas de Celulares), “após pressão da entidade pelo direito de informação da comunidade”.

A diretoria da entidade está avaliando como será a participação na audiência.   Reservem a data! Participe.
  • Dia 26 de junho
  • Hora: 19 horas
  • Local: Câmara Municipal de Porto Alegre
  • Av Loureiro da Silva, 255 – Centro Histórico
  • Porto Alegre

 

Fonte: http://agapan.blogspot.com.br/2014/06/camara-municipal-de-porto-alegre-marca.html

porRedação

Nota de repúdio da Agapan, Ingá e Mogdema à decisão do TJRS que libera a comercialização de quatro agrotóxicos no RS

As Associadas da APEDeMA/RS, Agapan e Ingá, com o Mogdema, divulgam a seguinte nota sobre liberação de agrotóxicos no RS:

A legislação gaúcha proíbe a venda e o uso no Estado do Rio Grande do Sul de compostos químicos vetados ou sem registro em seus países de origem. Em cumprimento à Lei 7.747/82, a Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler (Fepam) proibiu , em 2012, o uso de agrotóxicos à base de Paraquat e Endossulfan. Ressalte-­se que estes compostos foram responsáveis por 167 intoxicações e 35 óbitos no Rio Grande do Sul, de acordo com o Centro de Informação Toxicológica do RS. Disto, o agricultor e a sociedade têm pouco conhecimento, infelizmente. No entanto, alegando serem permitidos em outros Estados da União, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ­RS) liberou­ o uso desses produtos.  Os Estados não podem ser mais permissivos do que a União, mas podem ser mais restritivos, no caso, proibindo estes agrotóxicos. Ler mais

porRedação

Agapan debate o papel do Estado na crise civilizatória e ecológica

A Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (Agapan) promove na próxima segunda-feira, 26 de maio, mais uma edição do projeto Agapan Debate, cujo tema será “O papel do Estado na crise civilizatória e ecológica”. O evento é gratuito e aberto ao público.