A Explosão em Beirute e os agrotóxicos: discussões necessárias a partir do jornalismo

Sebastião Pinheiro fará live nesta terça-feira, 25/8/2020, sobre “A Explosão em Beirute e os agrotóxicos: discussões necessárias a partir do jornalismo”. O material químico que explodiu na capital do Líbano arrasando metade da cidade é utilizado na fabricação de agrotóxicos e de bombas de guerra. A ilação será desenvolvida pelo Engenheiro Agrônomo e Florestal Sebastião Pinheiro.

A live é promovida pelo Núcleo dos Ecojornalistas do RS – NEJRS e o Grupo de Pesquisa em Jornalismo Ambiental (GPJA), ligado ao Pós-Graduação em Jornalismo da FABICO/UFRGS.

O tema surge a partir de provocações publicadas no Observatório de Jornalismo ambiental, página do GPJA que compartilha, semanalmente, análises que problematizam a cobertura jornalística sobre o meio ambiente.

Em 4 de agosto, quase 3 mil toneladas de nitrato de amônio explodiram num armazém no porto de Beirute, deixando 137 mortos e mais de 5 mil feridos (dados da BBC Brasil), arrasando metade da cidade. A substância é utilizada em fertilizantes sintéticos, mas também, na fabricação de explosivos.

Sebastião Pinheiro, elucidará questões pouco abordadas pelo “jornalismo tradicional ou hegemônico”, dia a nota de divulgação do evento. Sua exposição permitirá compreender as relações entre os fertilizantes e agrotóxicos – por ele qualificados como produtos da guerra -, desastres como o que ocorreu no Líbano e os impactos do uso desses produtos em larga escala vida cotidiana.