Arquitetos debateram Conflitos e Desastres Ambientais

Captura de Tela 2019-10-12 às 22.00.04.pngO terceiro dia de programação do 21º Congresso Brasileiro de Arquitetos, que se realiza em Porto Alegre, contou com oficinas, apresentações de trabalhos e artigos, palestras, visita guia ao prédio do Centro Cultural UFRGS, mini-cursos, diversas sessões, início de exposições e encenação teatral gratuita na Praça Glênio – Caliban, com a Tribo de Atuadores Ói Nois Aqui Traveiz.

Entre as várias Sessões Temáticas, uma tratou sobre “Conflitos e Desastres Ambientais”, com a arquiteta e professora Cláudia Pires e o advogado integrante do Movimento dos Atingidos por Barragens, Leandro Scalabrin. Eles lembraram que casos de rompimento de barragens exemplificam a lógica de máxima exploração dos recursos, em detrimento da preservação dos direitos humanos.

Outro tema surgiu da pergunta Você consegue citar o nome de três arquitetas mulheres reconhecidas nacional ou internacionalmente? A partir dessa questão, o coletivo Arquitetas Invisíveis procura instigar as profissionais do setor a buscarem referências femininas para seus trabalhos. O assunto foi tratado na Sessão “Mulheres e arquitetura: atuação e estratégias”.

Palestra – A revisão do Plano Diretor Estratégico de São Paulo, aprovado em 2014 em contexto de conflitos, foi o tema de uma das palestras do dia 11. Fernando Túlio, presidente do IAB-SP e assessor da Prefeitura de SP à época da revisão, disse que o principal desafio foi gerado pela produção desordenada de novos empreendimentos do setor imobiliário.

Túlio apresentou dado que embasou parte dos estudos: nos dez anos anteriores à revisão do plano, o setor imobiliário movimentou R$ 94,68 bilhões – soma do valor geral de vendas no período. Desse valor, R$ 1,25 bilhão foi capturado via outorga onerosa do direito de construir para o Fundo de Desenvolvimento Urbano (Fundurb) – pouco, na avaliação do presidente do IAB-SP.

Fonte, com edição: IAB

Previous post Fórum em Defesa do Patrimônio Cultural vai ingressar com representação contra desmonte do IPHAN
Next post Liminar suspende nomeação da Chefe do Parque Nacional da Lagoa do Peixe
Send this to a friend